sexta-feira, 5 de abril de 2019

Balada do Amor através das Idades | Ballad of Love through the Ages

Carlos Drummond de Andrade | Robert de Brose

Eu te gosto, você me gosta
desde tempos imemoriais.
Eu era grego, você troiana,
troiana mas não Helena.
Saí do cavalo de pau
para matar seu irmão.
Matei, brigamos, morremos.

Virei soldado romano,
perseguidor de cristãos.
Na porta da catacumba
encontrei-te novamente.
Mas quando vi você nua
caída na areia do circo
e o leão que vinha vindo,
dei um pulo desesperado
e o leão comeu nós dois.

Depois fui pirata mouro,
flagelo da Tripolitânia.
Toquei fogo na fragata
onde você se escondia
da fúria de meu bergantim.
Mas quando ia te pegar
e te fazer minha escrava,
você fez o sinal da cruz
e rasgou o peito a punhal…
Me suicidei também.

Depois (tempos mais amenos)
fui cortesão de Versailles,
espirituoso e devasso.
Você cismou de ser freira…
Pulei muro de convento
mas complicações políticas
nos levaram à guilhotina.

Hoje sou moço moderno,
remo, pulo, danço, boxo,
tenho dinheiro no banco.
Você é uma loura notável,
boxa, dança, pula, rema.
Seu pai é que não faz gosto.
Mas depois de mil peripécias,
eu, herói da Paramount,
te abraço, beijo e casamos.



I like you and you like me
since time immemorial.
I was Greek, you were Trojan,
Trojan, but not Helen.
I jumped from the Wooden Horse
to kill your brother.
I did, we quarreled, we died.

Then I became a Roman soldier,
persecutor of Christians.
At the catacomb’s door
I met you once again.
But no sooner had I seen you
naked, fallen on the circus dust,
and the lion that was running,
than I jumped in despair
and the lion ate us both.

Next I was a Moorish pirate,
the scourge from Tripoli.
I set the frigate on fire
where you were hiding
from the fury of my brigantine.
But when I was going for you
to take you as my slave,
you crossed yourself and stuck
a bodkin into your heart…
I killed myself as well.

After this (in happier days)
I was a courtier in Versailles,
lewd and full of wit.
You decided to be a nun…
I jumped over the convent wall,
but political turmoil

led us both to the guillotine.

Today I am a modern guy,
I row, jump, dance and box,
I have money in the bank.
You’re a remarkable blond,
you box, dance, jump and row.
It's your father  who doesn’t approve.
But after a thousand adventures,
I, a hero from Paramount,
hold you, kiss you and we get married.


SOURCE: Alguma Poesia. Cia das Letras: São Paulo, 2013. p.62

domingo, 30 de dezembro de 2018

Correspondances | Correspondências

Charles Baudelaire | Robert de Brose

Correspondances

La Nature est un temple où de vivants piliers
Laissent parfois sortir de confuses paroles;
L'homme y passe à travers des forêts de symboles
Qui l'observent avec des regards familiers.

5 Comme de longs échos qui de loin se confondent
Dans une ténébreuse et profonde unité,
Vaste comme la nuit et comme la clarté,
Les parfums, les couleurs et les sons se répondent.

II est des parfums frais comme des chairs d'enfants,
10 Doux comme les hautbois, verts comme les prairies,
— Et d'autres, corrompus, riches et triomphants,

Ayant l'expansion des choses infinies,
Comme l'ambre, le musc, le benjoin et l'encens,
Qui chantent les transports de l'esprit et des sens.

Correspondências

A natureza é um templo onde vivos pilares
Deixam por vezes escapar confusas palavras;
O homem aí passa numa floresta de charadas
Que o observam com semblantes familiares.

5 Como longos ecos que de longe se confundem
Em uma tenebrosa e profunda unidade,
Vasta como a noite e como a claridade,
Os perfumes, as cores e os sons se aludem.

Há perfumes frescos como a carne de infantes
10 Verdes como os campos, doces como as madeiras,
— E outros, corrompidos, ricos e triunfantes,

Possuidores d’amplidão das coisas verdadeiras,
Como o âmbar, o almíscar, o benjoim e o incenso,
Que cantam o enlevo do espírito e do senso.


Fonte: Les Fleurs du Mal. Classiques Françaises. Bookking International: Paris, 1993.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

ODE XVII Galimatias Pindarique | ODE XVII Baboseiras Pindáricas

Voltaire | Robert de Brose

ODE XVII

Galimatias Pindarique

Sur un carrousel donné par L’Impératrice de Russie

(17661)

1 Sors du tombeau, divin Pindare,
Toi qui célébras autrefois
Les chevaux de quelques bourgeois
Ou de Corinthe ou de Mégare;
5 Toi qui possédas le talent
De parler beaucoup sans rien dire;
Toi qui modulas savamment
Des vers que personne n'entend,
Et qu'il faut toujours qu'on admire.

10 Mais commence par oublier
Tes petits vainqueurs de l'Élide;
Prends un sujet moins insipide;
Viens cueillir un plus beau laurier.
Cesse de vanter la mémoire
15 Des héros dont le premier soin
Fut de se battre à coups de poing
Devant les juges de la Gloire.

La Gloire habite de nos jours
Dans l'empire d'une amazone;
20 Elle la possède, et la donne:
Mars, Thémis, les Jeux, les Amours,
Sont en foule autour de son trône.
Viens chanter cette Thalestris2
Qu'irait courtiser Alexandre.
25 Sur tes pas je voudrais m'y rendre,
Si je n'étais en cheveux gris.

Sans doute, en dirigeant ta course
Vers les sept étoiles de l'Ourse,
Tu verras, dans ton vol divin.
30 Cette France si renommée
Qui brille encor dans son déclin;
Car ta muse est accoutumée
A se détourner en chemin.

Tu verras ce peuple volage.
35 De qui la mode et le langage
Régnent dans vingt climats divers;
Ainsi que ta brillante Grèce
Par ses arts, par sa politesse.
Servit d'exemple à l'univers.

40 Mais il est encor des barbares
Jusque dans le sein de Paris;
Des bourgeois pesants et bizarres,
Insensibles aux bons écrits;
Des fripons aux regards austères.
45 Persécuteurs atrabilaires
Des grands talents et des vertus;
Et, si dans ma patrie ingrate
Tu rencontres quelque Socrate,
Tu trouveras vingt Anitus3.

25 Je m'aperçois que je t'imite.
Je veux aux campagnes du Scythe
Chanter les jeux, chanter les prix
Que la nouvelle Thalestris
Accorde aux talents, au mérite;
55 Je veux célébrer la grandeur,
Les généreuses entreprises.
L'esprit, les grâces, le bonheur.
Et j'ai parlé de nos sottises.

Notes dans l’édition originale

1. Le titre que je donne à cette pièce est celui qu'elle a dans les éditions données du vivant de l'auteur, en 1770, 1771, 1775. Quant à la date, c'est celle que lui donnent les éditions de Kehl. Mais je remarquerai que dans les éditions de 1770, 1771, 1775, au lieu de 1766, on lit 1768, date qui me parait plus probable, soit pour époque du carrousel, soit pour époque de la composition de la pièce. Voltaire a fait l'éloge de la magnificence de ce carrousel de Catherine II (dans le chapitre xcix de Essai sur les mœurs). Mais le passage où il en parle n'existait pas encore dans l'édition in-4º, qui est de 1708 : nouvelle raison pour rejeter la date de 1760. (B.)

2. Thalestris, reine des Amazones, sortit de ses États pour venir voir Alexandre le Grand, auquel elle avoua de bonne foi qu'elle désirait avoir des enfants de lui, se croyant digne de donner des héritiers à son empire. Quinle-Curce, (Note de Voltaire, 1770.)

3. Anitus fut le délateur et l'accusateur calomnieux de Socrate. (Id., 1770.)

ODE XVII

Baboseiras Pindáricas

Para um carrossela dado pela Imperatriz da Rússia

(17661)

Sai da tumba Píndaro divino
tu, que outrora já cantaras
os corcéis desses grã-finos
de Corinto ou de Megáras;
Tu, que tinhas o talento
de mui falar sem dizer nada;
tu, que moldavas a contento
odes que ninguém entende
e devem ser sempre admiradas.

Mas começa por esquecer
d’Élidab teus parvos vencedores
tema escolhe de mais sabores;
lauréis mais belos vem colher.
Cessa de louvar a memória
de heróis cujo único cuidado,
foi com socos ser golpeados
frente aos árbitros da Glória.

A Glória existe em nossos dias
no império de uma amazonac
ela a possui e a comissiona:
Marte, Têmis, os jogos, o amor
cercam seu trono de esplendor
Vem cantar essa Talestris2,
Que Alexandre cortejaria.
E em seu rastro eu seguiria
Não fora já os cabelos gris.

Decerto, dirigindo o olhar
da Ursa àquele luminard,
verás, no teu voo divino
Essa França tão renomada
qu’inda luzeia em seu declínio;
pois tua musa é acostumada
a se perder em seu caminhoe.

Verás um povo mui vaidoso
cuja língua e estilo primoroso
viçam em climas mui diversos;
Mas tua Grécia em fulgurância
Por suas artes e a elegância
Serviu de exemplo ao universo.

Ainda bárbaros de todos lados
há no seio de Paris dispersos;
Burgueses chatos e bizarros;
Insensíveis aos bons versos;
Canalhas de austero senho,
perseguidores sem engenho
de grãs virtudes e talentos;
e se da pátria por estes ares
algum Sócrates encontrares
Vais ver Ânitos aos centos3.

Já me apercebo que te imito.
Quero da Cítia no infinito
Cantar os jogos e os prêmios
Que Talestris, o novo gênio,
dá aos talentos por seu viço;
Quero celebrar a grandeza,
e as aventuras adventícias:
A alma, a graça, a beleza.
Mas falei de nossa estultícia.

Notas da edição original

1. O título que dei à este poema é aquele que ele tem nas edições dadas ainda em vida pelo autor, em 1770, 1771, 1775. Quanto à data, é aquele lhes dão as edições de Kehl. Mas eu notaria que nas edições de 1770, 1771, 1775, ao invés de 1776, lê-se 1768, data que me parece mais provável, seja por ser a época do carrossel, seja por ser a época da composição do poema. Voltaire fez um elogio da magnificiência desse carrossel de Catarina II (no capítulo XCIX do Essai sur les mœurs). Mas a passagem de que ele fala não existia mais na edição in-4º que é aquela de 1708: uma nova razão para rejeitar a data de 1760. (B).

2. Talestrís, rainha das amazonas, saiu de sua terra para ir ver Alexandre o Grande, a quem ela prometeu de boa fé que desejava ter filhos dele, crendo-se digna de dar herdeiros a seu império. Quinte-Curce, (Nota de Voltaire, 1770.)

3. Ânito foi o delator e acusador calunioso de Sócrates. (Id., 1770)

st. petersbourg square

FONTE: Œuvres complètes de Voltaire: Poésie. Nouvelle Édition conformé par le texte à l’édition de A. J. Quentin Beuchot. Garnier: Paris, 1877, pp. 486-89.

NOTAS DO TRADUTOR:

(a) Esse carrossel foi uma espécie de competição equestre (e não o brinquedo temático) organizada por Catarina II na praça do Palácio de Inverno em São Petesburgo. O carrossel Russo fora inspirado pelas competições equestres dos jogos olímpicos e deveria rivalizar com o grande carrossel montado por Luís XIV em 1662 na praça das Tuileries, em Paris, para celebrar o nascimento do Delfim, bem como com aqueloutro magnífico carrossel organizado em  Berlin em 1765 pelo Rei da Prússia, Frederico II, o Grande. O carrossel russo era disposto em três quadrilhas: de eslavos, de romanos, de indianos e de turcos. Cada uma das quadrilhas era encabeçada por um arauto e uma banda, que deveria tocar músicas representativas de suas regiões. Um anfiteatro fora construído na praça do palácio de inverno, onde deveriam se encontrar as quadrilhas. Dali os aristocratas percorreram as raias improvisadas na praça e arredores, decapitando manequins de cera. A grande inovação do carrossel de Catarina era a participação das mulheres. De fato, identificando-se com as mulheres espartanas, a própria Catarina era a capitã do time eslavo e conduzira seu treinamento, daí sua identificação com a amazonas Thalestris por Voltaire. Os líderes das quadrilhas Romana e Indiana eras os irmão Orlov, que ganharam todas as provas. A campeã do time de Catarina foi Natalia Golitsyna (née Chernyshova). Foi ela que serviu de modelo para o romance de Pushkin A Rainha de Espadas.  O carrossel serviu de inspiração e sátira para muitos poetas russos, como Vasily Petrov e Gravila Derzhavin. (NARODITSKAYA, I. (2012) Bewitching Russian Opera: The Tsarina from State to Stage. OUP: Oxford, p. 26-28).

(b) Olímpia, local dos jogos olímpicos, ficada na região da Grécia conhecida como Élida.

(c) Catarina II, a Grande, Imperatriz da Rússia, mais adiante identificada com a amazona Thalestris.

(d) Ou seja, para o Oeste, em direção à França.

(e) Píndaro era conhecido por suas inúmeras digressões, intercaladas por provérbios, entre a ocasião da ode, o mito e o louvor ao laudandus.


VERSÕES:

1ª: 26 de novembro de 2018.

2ª: 28 de novembro de 2018:
v
. 5: tu que tinhas o talento [tu, que o dom tinhas à mente];
v. 7: tu, que modulavas sabiamente [tu, que moldavas a contento];
v. 9: e sempre admiradas devem ser [e sempre devem ser admiradas];
v. 15: Foi com socos ser golpeados | frente aos [Foi com socos descompensados | lutar pros ];
v. 27-8: o olhar | da Ursa para àquele luminar [a vela | da Ursa para as sete estelas ];
v. 24: ver [achar];
v. 54: Julga os talentos por serviço [dá aos talentos por seu viço];
v. 57: [A alma, a graça, a beleza]